Rodovia Governador Mário Covas

Rodovia Governador Mario Covas - BR-101A BR-101 é uma rodovia federal, longitudinal do Brasil. Seu ponto inicial está localizado na cidade de Touros (Rio Grande do Norte) e o final na cidade de São José do Norte (Rio Grande do Sul). Em alguns trechos recebe nomes específicos, como Rodovia Rio—Santos e Rodovia Rio–Vitória.

Construída pelo Exército Brasileiro, atravessa doze estados brasileiros: Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Em toda sua extensão é denominada oficialmente Rodovia Governador Mário Covas.

Segue no sentido norte-sul por praticamente todo o litoral leste brasileiro, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. Inicialmente, possuía um trecho não construído entre o município paulista de Peruíbe e Garuva (Santa Catarina). No trecho incompleto entre Peruíbe (SP) e Garuva (SC), a BR-101 é sobreposta às rodovias BR-116 (Rodovia Régis Bittencourt) e BR-376. Esses trechos são computados na quilometragem total da rodovia pelo Ministério dos Transportes.

A BR-101 é a mais extensa rodovia brasileira.

Duplicações

Sudeste
Em 2009 foi aberta ao público a duplicação de 26 km entre o bairro Santa Cruz, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, ao distrito de Itacuruçá, no município de Mangaratiba, trecho localizado no Estado do Rio de Janeiro, próximo à capital fluminense. O trecho da Rodovia Rio-Santos entre o distrito de Itacuruçá em Mangaratiba até Paraty com promessa de duplicação ainda não saiu do papel por Burocracia dos governos Estadual e Federal, e por questões ambientais, pois a estrada passa por áreas de mata atlântica em uma região espremida entre a Serra do Mar e o Oceano Atlântico. Porém o governo brasileiro incluiu a duplicação de mais 20 quilômetros entre o distrito de Itacuruçá e a região central do município de Mangaratiba no Plano logístico de 2015 assinado pela Presidente da República e o Ministro dos Transportes, além de um contrato entre o estado do Rio de Janeiro com uma Empresa de Concessões Rodoviárias a ser escolhida pelo menor preço do pedágio para a melhorias a partir do trecho entre o início da rodovia em Santa Cruz, na Zona Oeste da capital fluminense, até o município de Paraty, o último município fluminense antes de entrar no estado de São Paulo.

Rodovia Governador Mario Covas - Trecho Rio-Santos - Foto 1O trecho Urbano compreendido como Avenida Brasil têm 58 quilômetros e é todo duplicado e é administrado pelo município do Rio de Janeiro e termina próximo ao início da Ponte Rio-Niterói. Seguindo pela Ponte Rio-Niterói que tem um pouco mais de 13 km de extensão sobre a Baía de Guanabara a rodovia tem pilares de até 72 metros de altura sobre o mar e possui pistas duplas com quatro faixas em cada lado. Neste trecho de ponte ela é administrada pelo Grupo EcoRodovias (ECOPONTE). A rodovia continua com pista dupla até o município de Rio Bonito com 59 km desde o fim da Ponte Rio Niterói. O trecho entre Rio Bonito e Campos dos Goytacazes está em processo de duplicação e abrangerá 176,6 km de pistas duplicadas. O Trecho de 20 km entre Macaé e Conceição de Macabu já foi duplicado. Mais 13 km entre os quilômetros 105 e 118 da região de Campos dos Goytacazes foram liberados recentemente. E o Grupo Arteris, a concessionária que administra a Br-101 dentro do estado do Rio de Janeiro no trecho entre a Ponte Rio-Niterói e a divisa com o estado do Espírito Santo ratificou a duplicação de mais de 25 km, sendo 10 km na região de Campos dos Goytacazes e 15 km entre Casimiro de Abreu e Silva Jardim até o final do ano de 2014, somando 58 km de pistas duplicadas na Br-101 Rio de Janeiro trecho Norte. A Br-101 tem cerca de 599 km de extensão dentro do estado do Rio de Janeiro, entre a divisa com o Espírito Santo ao norte e a Divisa com o Estado de São Paulo ao Sul. É a mais extensa rodovia federal dentro do estado do Rio de Janeiro. A previsão do Grupo Arteris/AutoPista Fluminense é cumprir a meta de duplicar mais 80 km até o final do ano de 2015.

No trecho de 49,1 km entre Ubatuba e a divisa com o estado do Rio de Janeiro ela é denominada de Rodovia Governador Mário Covas sob a Sigla BR-101.

Em 17 de abril de 2013 a Justiça liberou o início de obras na BR-101 no estado do Espírito Santo, para ser explorado e duplicado pela EcoRodovias (ECO101).

Sul
O trecho entre Curitiba e Florianópolis, de 312 km, foi totalmente duplicado no Governo FHC (Fernando Henrique Cardoso), sendo que o trecho entre a divisa entre Paraná/Santa Catarina e Florianópolis, de aproximadamente 200 km, foi totalmente duplicado no final dos anos 1990; já o trecho complementar (BR-376, entre a divisa Paraná/Santa Catarina (em Garuva/SC e Curitiba), foi duplicado pelo governo do estado do Paraná (administração Roberto Requião) entre 1994 e 1995.

Em 2005 foi efetuada duplicação o trecho que liga Palhoça/SC a Osório/RS, de 350 km. O trecho gaúcho já está todo duplicado; Grande parte do trecho que cruza o estado de Santa Catarina já foi duplicado sendo uma das melhores estradas para tráfego de veículos leve e pesados, principalmente para o escoamento da carga do porto de Itajaí. Faltam ainda duplicar 14,5 quilômetros (10 quilômetros em Laguna e dois quilômetros em Tubarão. Os 88,5 quilômetros do trecho gaúcho foram entregues em fevereiro de 2011.

Nordeste
Rodovia Governador Mario Covas - Trecho Rio-Santos - Foto 2Encontra-se em duplicação, desde 2005, o trecho da BR-101 no Nordeste, entre Natal e Salvador. Ainda não concluído, com previsão de término em 2016. O trecho entre Natal (RN) e Palmares (PE), de 404 km de extensão (sendo que cerca de 70 km que cortam a Região Metropolitana do Recife já eram duplicados antes de 2005) já se encontra duplicado. Os trechos entre Palmares e a divisa Pernambuco-Alagoas, assim como os trechos nos estados de Alagoas e Sergipe, encontram-se com obras em ritmo lento, sem previsão de término. No estado do Sergipe, o trecho entre Aracaju e Estância, de 67 km, está com a duplicação concluída e o que liga Maruim até Propriá, encontra-se quase parada, sendo realizado obras apenas pelo Exercito Brasileiro. O trecho baiano da BR-101 teve apenas a ordem de serviço assinada em 2014, com previsão de conclusão em 2016, mas consta ainda hoje 07/15, com trecho que ainda não foram iniciados e outros em ritmo lento. Foram assinadas quatro lotes das obras da BR-101, os quais deverão ser executados simultaneamente. Terá 165,4 quilômetros e parte de Feira de Santana até a divisa com o estado de Sergipe. Outra parte será duplicada de Eunápolis até a divisa com o Espírito Santo.

 

Acessos – São Paulo e Rio de Janeiro

 

Rio de Janeiro

  • Campos dos Goytacazes Acesso Bom Jesus do Itabapoana ,Varre-Sai, Porciúncula, Natividade- obras de duplicação até Campos dos Goytacazes. Acesso a Italva,Cardoso Moreira, São Fidélis,Cambuci, Itaocara, Aperibé,Itaperuna, São João da Barra, São Francisco de Itabapoana,Miracema e Santo Antônio de Pádua – obras de duplicação até a cidade de Rio Bonito, local onde começa a pista dupla da BR-101 no seu entroncamento com a Via Lagos até o entroncamento com o segmento chamado Rio-Santos, ao qual, já foi duplicado o trecho de 26 km até Itacuruçá, distrito de Mangaratiba.
    • Acesso a Conceição de Macabu, Santa Maria Madalena, Trajano de Morais e São Sebastião do Altopela RJ 182
    • Acesso a Carapebus
    • Acesso a Quissamã
    • Acesso a Silva Jardim
    • Acesso a Macaé pela RJ-106
  • Casimiro de Abreu
    • Acesso a Rio das Ostras
    • Acesso à Região dos Lagos, Búzios, Cabo Frio, Arraial do Cabo, Saquarema, Iguaba Grande, Araruama pela Via Lagos.
  • Rio Bonito – Início da Pista dupla.
    • Acesso a Nova Friburgo, Carmo, Cachoeiras de Macacu,Sumidouro,Bom Jardim, Cordeiro, Duas Barrase Cantagalo pela RJ-116.
  • Itaboraí acesso a Maricá – ligação com a BR-116 pela BR-493. Além de ser trecho do futuro Arco Metropolitano.
  • São Gonçalo
  • Niterói – ligação com o Rio de Janeiro pela Ponte Rio-Niterói, que também faz parte da BR-101
  • Rio de Janeiro – Na capital fluminense, inclusive, pela Região da Leopoldina e pelos subúrbios de Campo Grande e Santa Cruz (trecho quadruplicado conhecido como Avenida Brasil) até seu entroncamento com a Rio-Santos.
  • Itaguaí – Acesso ao Arco Metropolitano
  • Mangaratiba – Trecho duplicado até Itacuruçá
  • Angra dos Reis
    • Acesso a Barra Mansa pela RJ-155
  • Parati – acesso à BR-459
    • Acesso a Guaratinguetá (São Paulo) pela RJ-165 e pela SP-171

 

São Paulo

  • Ubatuba
  • Inicio do trecho administrado pelo governo paulista, sendo denominada Rodovia Manuel Hipólito do Rego SP-55. Estende-se de Ubatuba até Peruíbe:
    • Acesso a Taubaté pela Rodovia Oswaldo Cruz (SP-125)
    • Caraguatatuba
    • São Sebastião
      • Acesso a Ilhabela através do serviço de balsas
    • Bertioga
      • Acesso a Mogi das Cruzes e a Suzano pela Rodovia Mogi-Bertioga (SP-98)
    • Santos – área continental
      Acesso ao Guarujá Rodovia Cônego Domenico Rangoni (SP-55)
    • Cubatão
      • Acesso à área urbana/insular do município de Santos pela Via Anchieta (SP-150 ou BR-050), ou então pela Rodovia Caminho do Mar (SP-148), conhecida no trecho urbano cubatense como Avenida 9 de Abril
      • Acesso a São Paulo pela Via Anchieta (SP-150 ou BR-050) ou pela Rodovia dos Imigrantes (SP-160); o acesso pela Rodovia Caminho do Mar (SP-148), atualmente, é bloqueado, sendo uma grande atração turística da cidade de Cubatão
      • Acesso à área insular do município de São Vicente pela Rodovia dos Imigrantes (SP-160)
      • Acesso a Diadema pela Rodovia dos Imigrantes (SP-160)
      • Acesso a São Bernardo do Campo (SP) e a Santo André pela Via Anchieta (SP-150)
    • São Vicente (área continental)
    • Praia Grande
    • Mongaguá
    • Itanhaém
    • Peruíbe
    • Itariri
    • Pedro de Toledo
    • Miracatu
      • Acesso à Rodovia Régis Bittencourt (BR-116 ou SP-230) pela SP-55
  • Existe um trecho projetado para interligar Peruíbe e Iguape
    • Iguape – o trecho entre Iguape e a divisa com o Paraná está sob administração estadual e possui trechos “em implantação”.